top of page
Buscar
  • Foto do escritorMaycon Lozano

Transtorno Bipolar (TB)

O transtorno bipolar ou bipolaridade é um transtorno que se caracteriza por alterações intensas de humor, que variam entre episódios de maior ou menor agitação. Nos episódios de maior agitação, ou mania, o indivíduo pode apresentar um estado de euforia, energia excessiva, grande otimismo, pensamentos acelerados e pouco sono, além de um comportamento impulsivo e irrefletido. Já nos episódios de depressão, a pessoa pode apresentar sintomas de tristeza profunda, baixa autoestima, insônia ou sono excessivo, perda de energia e falta de interesse por atividades que antes eram prazerosas.


A duração e frequência desses episódios pode variar de pessoa para pessoa e a depender do quadro podemos ter a predominância de episódios de mania ou depressão. Entre os episódios de mania e depressão, a pessoa pode se sentir normal ou apresentar sintomas menos graves por um certo período o que muitas vezes dificulta o diagnóstico precoce do transtorno.


O transtorno bipolar pode ser classificado em diferentes tipos, como o transtorno bipolar tipo I, no qual a pessoa apresenta episódios de mania e depressão, e o transtorno bipolar tipo II, no qual a pessoa apresenta episódios de hipomania (um estado menos intenso que a mania) e depressão. O transtorno bipolar pode afetar pessoas de todas as idades, mas geralmente começa a se manifestar na adolescência ou no início da vida adulta.


O tratamento do transtorno bipolar pode incluir o uso de medicamentos estabilizadores de humor, além de psicoterapia. Onde “a psicoeducacão do paciente e do familiar ou cuidador é fundamental e tem por objetivo oferecer informações sobre a doença, seu prognóstico e tratamento, propiciando maior entendimento do processo terapêutico e, consequentemente, levando a melhor adesão ao tratamento.” (Moreno, 2005)


A terapia comportamental no tratamento do transtorno bipolar terá enfoque na regulação emocional do sujeito. Auxiliando-o a aprender a identificar e monitorar suas emoções, a fim de evitar o desencadeamento de episódios maníacos ou depressivos. A terapia também pode ajudar a pessoa a desenvolver estratégias para lidar com o estresse e a ansiedade, que muitas vezes podem desencadear os episódios de alteração humor.


Referência: Moreno, R. A., Moreno, D. H., & Ratzke, R. (2005). Diagnóstico, tratamento e prevenção da mania e da hipomania no transtorno bipolar. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), 32, 39-48.


5 visualizações

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page